Reforma da Previdência – o que muda na aposentadoria no atual projeto?

Publicado originalmente em: GEWEHR, Mathias Felipe; GOMES, Daniela Vasconcellos. Reforma da Previdência – o que muda na aposentadoria no atual projeto? Jornal Informante. v. 478, p. 05, 24 mar. 2017.


Reforma da Previdência – o que muda na aposentadoria no atual projeto?

 

Mathias Felipe Gewehr (OAB/RS 54.294)

Daniela Vasconcellos Gomes (OAB/RS 58.090)

 

Nos últimos dias, dentre os principais assuntos em destaque não apenas na imprensa, mas nas conversas de brasileiros de todas as regiões e de todas as classes sociais está a reforma da Previdência Social. O Instituto Nacional do Seguro Social defende a reforma do atual sistema, sob a alegação de necessidade de adaptação à nova realidade demográfica brasileira, com o aumento da expectativa de vida e a diminuição da fecundidade, o que estaria gerando déficit financeiro. Já os trabalhadores estão preocupados com as mudanças propostas para benefícios como aposentadorias e pensões.

No Regime Geral de Previdência Social – RGPS, muitas são as mudanças propostas, e dentre as mais comentadas, está o estabelecimento de idade mínima de 65 anos para a concessão de aposentadoria, para homens e mulheres, e, no mínimo, 25 anos de tempo de contribuição.

A aposentadoria de trabalhadores rurais também terá a idade mínima de 65 anos para a concessão de aposentadoria, para homens e mulheres, e, no mínimo, 25 anos de tempo de contribuição, devendo cada membro do grupo familiar contribuir de forma individual para o Regime Geral da Previdência Social.

A aposentadoria do trabalhador cujas atividades são exercidas sob condições especiais que prejudicam a saúde deverá obedecer a idade mínima de 55 anos, e 20 anos de tempo de contribuição, e não existirá mais a aposentadoria especial para o professor, que se aposentará com as mesmas regras estabelecidas para os demais segurados.

O valor da aposentadoria por tempo de contribuição corresponderá a 51% da média dos salários de contribuição, acrescido de 1% para cada ano de contribuição considerado na concessão da aposentadoria, até o limite de 100%. Já a aposentadoria por invalidez somente terá o valor correspondente a 100% da média das remunerações em caso de acidente de trabalho, já em outros casos, o benefício de 50% da média dos salários de contribuição, acrescido de 1% para cada ano de trabalho.

As regras de transição para os atuais segurados do Regime Geral de Previdência Social somente serão aplicadas a homens com mais de 50 anos e mulheres com mais de 45 anos, que poderão se aposentar após cumprir um período adicional de contribuição (pedágio) equivalente a 50% do tempo que, na data de promulgação da Emenda, faltaria para atingir o número de meses de contribuição exigido. Essa regra de transição também será aplicada para o professor e para o segurado especial rural.

Esta entrada foi publicada em Artigos em jornais e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>